Como lidar com a solidão

Em vários momentos, podemos nos sentir tristes, “para baixo” ou desanimados. Quando os anos passam, é normal que esse sentimento faça parte da rotina com maior frequência — afinal, os filhos crescem, não temos mais aqueles colegas de trabalho diariamente e a vida segue rumos diferentes para cada um.

O que muitas pessoas acham — e está errado — é que essa solidão não tem cura ou deverá ser, obrigatoriamente, parte da rotina. Muito pelo contrário! Com pequenas ações que podem ser incluídas facilmente na rotina, lidar com a solidão se transforma em uma tarefa muito mais simples de alcançar.

No post de hoje, vamos falar um pouquinho do assunto, nos apoiando em dados e informações de profissionais da área. Esperamos que assim você possa colocar as ações em prática!

Lidar com a solidão entendendo que ela faz parte da vida

Muitas pessoas acreditam que, para lidar com alguma coisa difícil, é melhor esquecer — ou colocar as memórias lá no fundo da gaveta. Assim, o problema “deixaria de existir” e seria mais fácil seguir em frente.

O aconselhado, porém, é entender que a solidão faz parte da vida e é um processo natural ao ser humano. Assim como temos dias felizes e outros não tanto, vamos viver momentos em que nos sentimos um pouco mais sozinhos, desamparados e ansiosos.

Compreender que a solidão é uma fase que pode ser vencida é uma ótima forma de não “entregar os pontos”. Pense em todos os anos vividos por você: eles foram iguais? Sua trajetória seguiu um curso linear? Temos certeza que não!

Por isso, tente aceitar a cada dia as mudanças da vida e tenha em mente que ficar só não necessariamente é algo ruim. Podemos ressignificar este sentimento.

Países como o Reino Unido, que contam com um número crescente de pessoas idosas, vêm se movimentando para criar ações práticas que lidem com o tema. É o exemplo do Ministério da Solidão, desenvolvido para enfrentar a questão de formas práticas e eficientes.

Um outro ponto importante que envolve esse processo de aceitação é entender que não são apenas os idosos ou grupos específicos de pessoas que estão sujeitos a passarem por isso.

Principalmente nos dias atuais, em que estamos cada vez mais conectados a aparelhos tecnológicos, existe a sensação de que o ser humano como um todo poderia estar se tornando mais solitário.

Entender que o problema não existe “somente na sua cabeça” também é uma forma de lidar melhor com o assunto. Estamos juntos nessa!

Mantendo hábitos que te dão prazer

Com o passar dos anos, é natural que nossos gostos e atividades prazerosas mudem — ou precisem sofrer alterações de acordo com nossas condições físicas e mentais.

De toda forma, é importante não perder o hábito de fazer coisas que gostamos. Assim, além de ficar feliz em fazer atividades prazerosas, é possível se reconectar com as pessoas e criar novos ambientes de interação social.

Uma simples ida ao posto de saúde, para fazer aquele check up necessário, já rende boas conversas. O mesmo serve para passeios no parque, exercícios na academia de praça do seu bairro ou se inscrever em aulas e cursos gratuitos.

Nos casos em que a locomoção é comprometida por algum motivo, você se sentirá menos sozinho se começar a fazer algo novo. Mesmo que seja pela internet — vendo um vídeo no YouTube ou participando de fóruns — hoje em dia podemos fazer grandes amigos virtualmente.

Usando as tecnologias ao seu favor

No passado, era difícil manter contato com parentes e pessoas queridas. A possibilidade de reencontrar algum amigo da escola, por exemplo, era bem difícil.

Hoje em dia, com as novas tecnologias, podemos nos conectar com pessoas ao redor de todo o mundo. Por isso, use-as ao seu favor! Isso pode ser feito de algumas formas:

  • faça chamadas de vídeo com a família e defina uma frequência para não perder o contato;
  • busque por grupos no Facebook de estudantes/turmas e escolas, muitas pessoas criam páginas com os alunos que se formaram em anos específicos. Dá para reencontrar amigos queridos;
  • assista a vídeos no YouTube que ensinem coisas novas, como crochê, pintura, receitas gostosas, exercícios físicos ou outras atividades manuais;
  • faça assinatura de serviços de streaming, como Netflix e Globoplay. Nessas plataformas existem uma série de filmes e séries que podem ser de grande distração e diversão.

Entendemos que muitas pessoas podem ter dificuldade para manusear os aparelhos eletrônicos. Por isso, vale pedir ajuda para amigos, vizinhos ou parentes. Caso consiga, uma simples busca no Google também é de grande valor.

Quando colocamos novos hábitos na rotina, tenha certeza que lidar com a solidão vai se tornar algo cada vez mais simples. Basta tentar!

Continue cuidando da sua qualidade de vida e pratique hábitos saudáveis. Te convidamos a entender tudo sobre a saúde dos olhos e a importância em manter consultas atualizadas!